CHAPA 03-PE

Candidatos:

ROBERTO SALOMAO DO AMARAL E MELO (Titular) e DIEGO LINS NOVAES FERRAZ (suplente)
RAFAEL AMARAL TENÓRIO DE ALBUQUERQUE (Titular) e SANDRA ROZANE BRANDÃO DE SIQUEIRA ALBUQUERQUE (suplente)
ALEXANDRE MESQUITA PAIVA (Titular) e MARCO ANTONIO GIL BORSOI (suplente)
ROMERO GOMES DUARTE (Titular) e JULIANO DUBEUX FLORES (suplente)
DANIELLE CORTEZ PAES BARRETO (Titular) e CARLA MARQUES DE AZEVEDO MAIA FONTES (suplente)
SANDRO RICARDO NASCIMENTO GUEDES (Titular) e JOAO GERALDO SIQUEIRA DE ALMEIDA (suplente)
CRISTIANA MARIA CORREIA DE ARAUJO ESTELITA (Titular) e ANA MARIA MOREIRA MACIEL (suplente)
KLEBER FREITAS DE CARVALHO (Titular) e ANDRÉA DE OLIVEIRA CALABRIA (suplente)
FILIPO ARCE MADEIRA CAMPOS JUNIOR (Titular) e ANA LUIZA GONÇALVES DO PRADO (suplente)
SAULO SUASSUNA FERNANDES FILHO (Titular) e GLAUCIO BRANDAO LEITAO (suplente)
HUMBERTO ZIRPOLI FILHO (Titular) e MARIA DO LORETO DUARTE WANDERLEY GOMES (suplente)

Obs. Veja a síntese de currículos de cada candidato após o plano de trabalho.

Plano de trabalho:

Vivemos um tempo marcado pela incerteza, pela fragilidade das relações sobre as coisas, pessoas e mesmo sobre as instituições. Um tempo de grandes desafios, repleto de sinais e visões muitas vezes confusas e pouco transparentes, propenso a mudar com rapidez e de forma imprevisível. Um tempo onde projetos coletivos – o bem comum – tem sucumbido ou mesmo ocultado interesses de poucos. Nesse mundo, o que podemos esperar da nova gestão do CAU-PE? O que de novo podemos esperar da nova gestão do CAU-PE frente a toda segregação que permeia o nosso exercício profissional hoje? Nesse ambiente de tantas incertezas, e de até (des)esperança, é possível perceber que todos nós convergimos num ponto: a necessidade premente de mudança por um projeto para o CAU-PE que possa unir, de fato, todos os arquitetos e urbanistas, independente do campo de atuação profissional, num mesmo projeto de futuro para a nossa profissão. Nesse tempo marcado pela pluralidade de ideias, nunca foi tão imperativo não apenas pensar globalmente, mais agir localmente. Um dos princípios fundamentais do nosso exercício profissional sempre foi o aguçado senso crítico de análise com vistas a resolução de problemas. É próprio da natureza profissional do arquiteto e urbanista o desenvolvimento de uma consciência crítica reflexiva sobre sua função social em promover a capacidade de pensar para transformar o espaço em que vivemos na perspectiva da mudança para um futuro comum que acolha a todas as pessoas. Diante desses desafios, precisamos fortalecer e valorizar, cada vez mais, nosso protagonismo social, reposicionando, quando necessário, o nosso papel de arquiteto e urbanista na sociedade, de modo a tornar-nos, cada vez mais, a partir de sua intrínseca visão humanista, num dos principais agentes de transformação social. Por sua vez, o exercício do profissional de arquitetura e urbanismo nunca foi tão poligonal, multidisciplinar e plural. A partir desse entendimento, e de forma ampla e representativa de toda a categoria, assim surgiu nosso grupo.. A partir da iniciativa de profissionais comprometidos com um projeto que possa unir e de fato representar todos os arquitetos e urbanistas, a composição de nossa Chapa contempla os diversos segmentos da profissão como Arquitetura, Urbanismo, Interiores, Paisagismo, Patrimônio, Planejamento Urbano, Topografia, Tecnologia da Construção, Conforto Ambiental, Meio Ambiente e Ensino, além de contar com membros identificados com as mais diversas organizações parceiras atuantes na área da arquitetura e urbanismo, sejam elas públicas ou privadas, como a APA - Associação dos Profissionais de Arquitetura; a ABDEH - Associação Brasileira para o Desenvolvimento do Edifício Hospitalar; IAB - Instituto dos Arquitetos do Brasil; Funcionários Públicos e Docentes que fazem parte da Universidade Federal de Pernambuco - UFPE, Universidade Católica de Pernambuco, Uninassau, Faculdade Damas, Faculdade Esuda e Faculdade Guararapes, além da contribuição de grandes referenciais da arquitetura pernambucana, e de representantes da nova geração de arquitetos e urbanistas, de modo a criar um colegiado legitimamente representativo da categoria. Um colegiado capaz de construir uma governança baseada na inovação e de realizar, quantas vezes for necessário, pontos de inflexão entre pensamentos divergentes e convergentes, sem contudo perder o foco ou a energia, na perspectiva do fortalecimento contínuo e da valorização de nosso protagonismo social é o que defendemos, é o que assumimos o compromisso de fazer. NOSSA ESTRATÉGIA DE AÇÃO PARA O TRIÊNIO 2018/2020 VISÃO DE FUTURO FOCOS PRIORITÁRIOS DE ATUAÇÃO ARQUITETOS E URBANISTAS ENTIDADES E ORGANIZAÇÕES DE CLASSE SOCIEDADE PERSPECTIVAS VALORIZAÇÃO PROFISSIONAL DO ARQUITETO E URBANISTA FORTALECIMENTO DAS ENTIDADES E ORGANIZAÇÕES DE CLASSE DIALOGO E TRANSPARENCIA COMO VALOR INOVAÇÃO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL NOVA AGENDA URBANA E INTERIORIZAÇÃO

Candidatos a conselheiro federal e suplente:

ROBERTO SALOMAO DO AMARAL E MELO ( TITULAR )